sexta-feira, março 13

Unbelievable


Eu me considerava uma pessoa acostumada ás bizarrices do mundo. Sou daquelas que não se impressiona com pouca coisa. Nem se surpreende. Apesar de achar a falta de noção de algumas pessoas uma doença a ser tratada, poucas vezes fiquei realmente abismada com momentos no sense presenciados. Então, um dia eu caminho calmamente até minha casa e passo por um sujeito que fica me encarando e me encarando... apresso o passo, o sujeito dá meia volta. Entro em casa apressadamente, tranco o portão mais rapidamente ainda... olho para trás... e eis que está o sujeito parado na frente da minha casa, braguilha aberta, segurando e balançando aquilo que eu cortaria com uma serra elétrica sem dó nem piedade só pelo desaforo. Depois de se comprazer com o momento e minha expressão de espanto, a criatura se retira como uma flecha. Então, a minha raiva é tanta que me assusta. Se eu realmente tivesse forças, eu cortaria fora. Penectomia com facão de preferência bem enferrujado e contaminado. Daí eu penso: joinha, o cretino precisa disso pra se sentir mais macho, sei lá... e jogo essa situação na pilha de momentos inacreditáveis da minha vida. Então, outro dia, estou eu no ônibus e um outro sujeito, extremamente atrapalhado, consegue a proeza de enfiar o dedo no meu olho num momento desequilíbrio total e arrancar minha lente de contato fora. Para os que não usam lente de contato, saliento que arrancar uma não é tão fácil assim... se fosse, até com um espirro ela sairia. Bem, após a dor passar e eu perceber que só enxergava bem de um olho, meu queixo foi parar nos meus pés. E ali estava eu, caolha, sem saber se ria ou chorava da situação. Bem, acabei rindo, e muito, ainda sem acreditar. Então, outro dia, uma "sujeita" pára na minha frente enquanto eu como uma barra de cereal e fica me encarando. Ok, eu conheço a tal "sujeita", mas eu não acho normal uma pessoa chegar do nada, parar na frente de alguém e ficar olhando esse alguém mastigar. Eu fiz a egípcia total, mas de vez em quando olhava pra pessoa e ali estava ela, me encarando. Sem noção. Sem bom senso. Sem respeito, eu diria. Eu obviamente faço coisas sem noção também. Tenho lembranças bem nítidas e arrependidas de algumas delas... mas nada que agrida fisica ou psicologicamente alguém. Minha falta de noção é provida de um certo bom senso. Pelo menos eu considero que eu sou esclarecida o bastante pra saber o que pode ou não ser feito. Acho que isso faz com que eu não consiga acreditar na falta de noção de certas pessoas, mas também não consigo acreditar que elas ajam de propósito... sei lá, não sei me fazer explicar em relação a isso. Só queria deixar registrado aqui o meu espanto recém descoberto (ou redescoberto?) pela pura falta de noção e de bom senso de algumas pessoas. Nem meus cachorros e meu francisquinho conseguem ser tão sem noção quanto algumas criaturas que habitam esse mundinho. Credo.

4 comentários:

Ivy disse...

que pica! literalmente...
:/

daiha disse...

Eu fiquei te olhando comer uma barra de cereal uma vez 0.0

HAHAHHAHAHAAA

Daiane disse...

Hahahahahahaha... eu lembro! Mas tu ficou olhando porque tu estava curiosa com a barra, não era?

Mas eu não estava falando de ti... hehehehehe... tu não é sem noção como a pessoa de quem eu estava falando.

Ok, de vez em quando tu é sem noção, principalmente com coisas que envolvem Microsporum o.o
Hahahha

Brunna disse...

daiane foi vitimada por um tarado. que lembrancas das caminhadas na redencao - nao eh pra parecer saudosista!